Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

anagoncalvesreikivivernaluz

Prestamos serviços, formação e voluntariado em : Reiki, karuna, Cristaloterapia, Meditação, Terapia de regressão, Psicologia Clínica, Acupunctura,Reflexologia, Osteopatia, Homeopatia, Naturopatia...

anagoncalvesreikivivernaluz

Prestamos serviços, formação e voluntariado em : Reiki, karuna, Cristaloterapia, Meditação, Terapia de regressão, Psicologia Clínica, Acupunctura,Reflexologia, Osteopatia, Homeopatia, Naturopatia...

Mantras


São séries de sílabas que invocam a energia de um Buddha ou Bodhisattva. A repetição de mantras no budismo Vajrayana é tão importante que o budismo esotérico também é chamado Mantrayana.


“A relação entre a fala, a respiração e o mantra pode ser melhor demonstrada através do método pelo qual o mantra funciona. Um mantra é uma série de sílabas cujo poder reside no seu som; através da pronúncia repetida e correcta entonação, pode-se obter controlo sobre uma determinada forma de energia. A energia do indivíduo está fortemente ligada à energia externa, e uma pode influenciar a outra. (...) É possível influenciar a energia externa, efectuando os assim chamados ‘milagres’. Tal actividade é realmente o resultado de se ter controlo sobre a própria energia, através do qual se obtém a capacidade de comando sobre fenómenos externos”.


Chögyal Namkhai Norbu, Dzogchen


Equivalentemente às orações das outras religiões, para contar as recitações, geralmente se utiliza um rosário (mala em sânscrito) de cento e oito contas. Na prática, considera-se que uma volta do rosário equivale a cem mantras, os oito restantes servem para compensar os mantras recitados distraidamente.


O mantra mais conhecido do budismo tibetano é Om Mani Padme Hum (os tibetanos pronunciam Om Mani Peme Hum), associado ao Bodhisattva da compaixão, Avalokiteshvara. Nesse mantra, a sílaba Om representa a presença física de todos os Bundas. A palavra sânscrita Mani, jóia, simboliza a jóia da compaixão de Avalokiteshvara, capaz de realizar todos os desejos. A palavra Padme significa lótus, a bela flor que nasce no lodo; do mesmo modo, devemos superar o lodo das negatividades e desabrochar as qualidades positivas. A sílaba Hum, representando a mente iluminada, encerra o mantra. Os mantras nem sempre possuem um significado claro e muitos deles são compostos por sílabas aparentemente ininteligíveis.


Outro mantra famoso é o mantra de Padmasambhava, conhecido como “Mantra de Vajra Guru”: Om Ah Hum Vajra Guru Padma Siddhi Hum. As três primeiras sílabas têm três significados: um externo, um interno e um secreto. Mas a cada um deles, o primeiro se refere ao corpo, o segundo à fala e o terceiro à mente. Vajra Guru Padma significa: a imutável e indestrutível essência da Verdade, as nobres qualidades da iluminação e a acção com compaixão, respectivamente. Siddh representa as bênçãos que solicitamos, e o último Hum tem o sentido de “assim seja!”. A essência seria: “Eu o invoco, Vajra Guru, Padmasambhava; em sua bênção, conceda-nos os siddhis ordinário e supremo. Hum!”. Invoca as energias dos trêskayas (dimensões ou campos): Dharmakaya (Buddha Amitabha), Sambhogakaya (Buddha Avalokiteshvara) e Nirmanakaya (Buddha Padmasambhava) (em "REALIDADE" e "MORRER CONSCIENTE").