Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

anagoncalvesreikivivernaluz

Prestamos serviços, formação e voluntariado em : Reiki, karuna, Cristaloterapia, Meditação, Terapia de regressão, Psicologia Clínica, Acupunctura,Reflexologia, Osteopatia, Homeopatia, Naturopatia...

anagoncalvesreikivivernaluz

Prestamos serviços, formação e voluntariado em : Reiki, karuna, Cristaloterapia, Meditação, Terapia de regressão, Psicologia Clínica, Acupunctura,Reflexologia, Osteopatia, Homeopatia, Naturopatia...

Testemunho da energia reiki

Tenho 54 anos, sou professora, casada e tenho dois filhos. Em Agosto de 2010, foi-me diagnosticado um carcinoma na mama esquerda. No princípio fiquei “apalermada”, até porque me disseram que era um caso fácil de resolver dado que se encontrava numa fase muito inicial. Após a tumorectomia fui informada que afinal as coisas não eram tão simples e que teria de fazer quimioterapia, radioterapia, herceptin e hormonoterapia.
Só aí tomei consciência de que um cancro é uma doença crónica que nos pode limitar e condicionar muito a nossa vida pessoal e familiar.
Seguiram-se dias muito difíceis de suportar, apesar de todo o apoio que tive em casa, dos amigos e ainda do apoio de uma psicóloga.
Infelizmente na minha escola havia outras colegas que também já tinham passado por esta situação. Foi através de uma delas que venho a ter conhecimento do Reiki. No início achei muito estranho tudo que ela me falou sobre esta terapia e não lhe dei grande importância. Contudo eu continuava a conviver muito mal com a minha doença, sentia-me tremendamente angustiada, até que um dia, no meio de muito desespero, acabei por lhe pedir que me informasse onde poderia encontrar alguém que me fizesse Reiki. Comecei a fazer sessões regulares com a Mestre Ana Gonçalves e, após cada sessão, eu regressava a casa com maior confiança, menos angustiada, mais relaxada e mais alegre.
Tenho uma formação católica e sou praticante. Interroguei-me muitas vezes se a minha religião era incompatível com o Reiki. Conclui que cada coisa pode ter o seu lugar, hoje sou ainda mais crente em Deus e mais praticante do que era na altura.
Não quero procurar se existem explicações científicas ou não para os efeitos do Reiki, para mim apenas basta que me ajudou quando eu estava numa fase difícil. Hoje, um ano depois, acho que nem tudo funciona de uma forma inteligível e racional.
Não vejo o Reiki como uma terapia que possa substituir a medicina convencional, longe disso, pode ser sim algo que complementa as terapias administradas no hospital e que recomendarei a qualquer pessoa que, pelas mais variadas circunstâncias, se encontrem numa fase menos boa da sua vida.
Tive conhecimento que há hospitais que reconhecem ou que estão em vias de reconhecer o Reiki como terapia complementar abrindo as suas portas à prática do Reiki. Porque não? Todas as ajudas são sempre bem-vindas. Como já disse, o que importa é o resultado final, tudo o que nos possa ajudar é bem vindo desde que venha por bem.