Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

anagoncalvesreikivivernaluz

Prestamos serviços, formação e voluntariado em : Reiki, karuna, Cristaloterapia, Meditação, Terapia de regressão, Psicologia Clínica, Acupunctura,Reflexologia, Osteopatia, Homeopatia, Naturopatia...

anagoncalvesreikivivernaluz

Prestamos serviços, formação e voluntariado em : Reiki, karuna, Cristaloterapia, Meditação, Terapia de regressão, Psicologia Clínica, Acupunctura,Reflexologia, Osteopatia, Homeopatia, Naturopatia...

Transformar a adversidade

Todos queremos ser felizes e protegermo-nos do sofrimento mas a vida confronta-nos por vezes com contrariedades, obstáculos e adversidades que não podemos controlar. A experiência demonstra que é possível sair desses momentos com mais força e capacidade para sermos felizes ou desfeitos e esgotados.

 

A ironia é que, verdadeiramente, depende apenas de nós que o indesejável se transforme num aliado poderoso e insubstituível ou num evento traumático que destrói a nossa felicidade para sempre.

 

Neste workshop analisaremos como aceitar e transformar a adversidade, como fazer dela um precioso instrumento de crescimento humano e espiritual.

_____________

Orientação: Tsering Paldron
Data: 19 de Maio | das 11h às 13h e das 15h às 17h
Local: Bodhicharya | Rua João de Barros, 138C hab.5 - 4150 Porto
Preço: 25€ 

O número de lugares é limitado!

 

Transformar a adversidade

Todos queremos ser felizes e protegermo-nos do sofrimento mas a vida confronta-nos por vezes com contrariedades, obstáculos e adversidades que não podemos controlar. A experiência demonstra que é possível sair desses momentos com mais força e capacidade para sermos felizes ou desfeitos e esgotados.

 


A ironia é que, verdadeiramente, depende apenas de nós que o indesejável se transforme num aliado poderoso e insubstituível ou num evento traumático que destrói a nossa felicidade para sempre.


 


Neste workshop analisaremos como aceitar e transformar a adversidade, como fazer dela um precioso instrumento de crescimento humano e espiritual.


_____________


Orientação: Tsering Paldron

Data: 19 de Maio | das 11h às 13h e das 15h às 17h

Local: Bodhicharya | Rua João de Barros, 138C hab.5 - 4150 Porto

Preço: 25€ 

O número de lugares é limitado!



 

TESTEMUNOS DA ENERGIA REIKI

TESTEMUNHO

 

Ana Filipa , Farmacêutica doutorada e Docente universitária de Farmacologia, residente na Figueira da Foz.

 

O Reiki porquê?

 

Vivo um ambiente de trabalho muito competitivo e contaminado por jogos de interesse e abuso de poder. Em 2010 terminei o ano lectivo anormalmente exausta, situação que atribuí a alterações hormonais devidas a um quisto que tinha num ovário. Em Julho fui operada para remoção do mesmo e fiz questão de descansar durante todo o mês de Agosto que estive de férias. No início de Setembro continuava exausta e sem capacidade de enfrentar mais um ano lectivo. Como Farmacêutica sabia que os suplementos vitamínicos não eram a solução pois estava a dormir e a alimentar-me bem. Até que alguém me falou do Reiki e comecei a investigar… conheci a Ana Gonçalves e fiz duas sessões. Senti-me logo com mais energia, menos angustiada, mais tranquila. Depois disso fiz formação em Reiki e comecei a fazer auto-terapia.

 

O que o Reiki mudou em mim?

 

Hoje posso afirmar com segurança que o Reiki me dá Paz e discernimento. O Reiki tem transformado a minha postura no dia a dia. Sinto que aos poucos fui definindo com clareza os meus objectivos e consigo discernir com enorme facilidade as pessoas que se aproximam de mim unicamente por interesse. Passei a afastar-me e não deixar que essas situações me desgastem e prejudiquem. Aos poucos os meus objectivos começaram a concretizar-se. Vou este ano para Londres colaborar num projecto de investigação com uma equipa de excelência, o que me deixa orgulhosa e feliz.

 

 

 

 

A cura pelo Reiki

 

Para uma investigadora e docente na área de Farmacologia, que ensina a cura com fármacos, de actividade definida e eficácia objectivamente medida, o Reiki foi para mim uma mudança de paradigmas. Mas apresentou-se também como um novo saber que necessitava de conhecer, porque experimentei e por isso não queria negar.

Acredito que o Reiki não substitui a terapêutica da medicina tradicional, mas constitui uma possibilidade de “cura desde dentro” que nos reconcilia connosco e com o Universo, o que nalguns casos se pode revelar fundamental ou complementar de uma terapêutica.

 

É importante para mim dizer que sou profundamente crente em Jesus e no seu modelo de vida. Também a este nível precisei de perceber o lugar do Reiki. Acredito que o Reiki não contradiz a minha espiritualidade, é outra forma de viver a mesma verdade, que complementa a minha fé.

A essência do Reiki é a compaixão pelo outro. Senti sempre essa compaixão por parte da Ana Gonçalves. O terapeuta Reiki não se move por interesses económicos ou mediatismo. Move-o a compaixão. Como alguém que recebe e experimenta algo que o muda a si e à sua vida e por isso não pode deixar de o partilhar.

 

Em conclusão, o Reiki ajuda-nos a curar feridas no mais profundo de nós, que inconscientemente muitas vezes geram padrões de reacção que determinam a nossa postura em sociedade. Bloqueios na nossa orientação interior que nos predispõem a problemas sucessivos e repetidos que um dia vêm a revelar-se patológicos sem que se perceba o como e o porquê. Deve por isso ser autorizada a utilização do Reiki em ambiente hospitalar, de forma voluntária, em total respeito pela vontade e liberdade do doente.

 

Figueira da Foz, 23 de Outubro de 2011

 

Ana Filipa 

TESTEMUNOS DA ENERGIA REIKI

TESTEMUNHO


 


Ana Filipa , Farmacêutica doutorada e Docente universitária de Farmacologia, residente na Figueira da Foz.


 


O Reiki porquê?


 


Vivo um ambiente de trabalho muito competitivo e contaminado por jogos de interesse e abuso de poder. Em 2010 terminei o ano lectivo anormalmente exausta, situação que atribuí a alterações hormonais devidas a um quisto que tinha num ovário. Em Julho fui operada para remoção do mesmo e fiz questão de descansar durante todo o mês de Agosto que estive de férias. No início de Setembro continuava exausta e sem capacidade de enfrentar mais um ano lectivo. Como Farmacêutica sabia que os suplementos vitamínicos não eram a solução pois estava a dormir e a alimentar-me bem. Até que alguém me falou do Reiki e comecei a investigar… conheci a Ana Gonçalves e fiz duas sessões. Senti-me logo com mais energia, menos angustiada, mais tranquila. Depois disso fiz formação em Reiki e comecei a fazer auto-terapia.


 


O que o Reiki mudou em mim?


 


Hoje posso afirmar com segurança que o Reiki me dá Paz e discernimento. O Reiki tem transformado a minha postura no dia a dia. Sinto que aos poucos fui definindo com clareza os meus objectivos e consigo discernir com enorme facilidade as pessoas que se aproximam de mim unicamente por interesse. Passei a afastar-me e não deixar que essas situações me desgastem e prejudiquem. Aos poucos os meus objectivos começaram a concretizar-se. Vou este ano para Londres colaborar num projecto de investigação com uma equipa de excelência, o que me deixa orgulhosa e feliz.


 


 


 


 


A cura pelo Reiki


 


Para uma investigadora e docente na área de Farmacologia, que ensina a cura com fármacos, de actividade definida e eficácia objectivamente medida, o Reiki foi para mim uma mudança de paradigmas. Mas apresentou-se também como um novo saber que necessitava de conhecer, porque experimentei e por isso não queria negar.


Acredito que o Reiki não substitui a terapêutica da medicina tradicional, mas constitui uma possibilidade de “cura desde dentro” que nos reconcilia connosco e com o Universo, o que nalguns casos se pode revelar fundamental ou complementar de uma terapêutica.


 


É importante para mim dizer que sou profundamente crente em Jesus e no seu modelo de vida. Também a este nível precisei de perceber o lugar do Reiki. Acredito que o Reiki não contradiz a minha espiritualidade, é outra forma de viver a mesma verdade, que complementa a minha fé.


A essência do Reiki é a compaixão pelo outro. Senti sempre essa compaixão por parte da Ana Gonçalves. O terapeuta Reiki não se move por interesses económicos ou mediatismo. Move-o a compaixão. Como alguém que recebe e experimenta algo que o muda a si e à sua vida e por isso não pode deixar de o partilhar.


 


Em conclusão, o Reiki ajuda-nos a curar feridas no mais profundo de nós, que inconscientemente muitas vezes geram padrões de reacção que determinam a nossa postura em sociedade. Bloqueios na nossa orientação interior que nos predispõem a problemas sucessivos e repetidos que um dia vêm a revelar-se patológicos sem que se perceba o como e o porquê. Deve por isso ser autorizada a utilização do Reiki em ambiente hospitalar, de forma voluntária, em total respeito pela vontade e liberdade do doente.


 


Figueira da Foz, 23 de Outubro de 2011


 


Ana Filipa 

TESTEMUNOS DA ENERGIA REIKI

Tenho 54 anos, sou professora, casada e tenho dois filhos. Em Agosto de 2010, foi-me diagnosticado um carcinoma na mama esquerda. No princípio fiquei “apalermada”, até porque me disseram que era um caso fácil de resolver dado que se encontrava numa fase muito inicial. Após a tumorectomia fui informada que afinal as coisas não eram tão simples e que teria de fazer quimioterapia, radioterapia, herceptin e hormonoterapia.
Só aí tomei consciência de que um cancro é uma doença crónica que nos pode limitar e condicionar muito a nossa vida pessoal e familiar.
Seguiram-se dias muito difíceis de suportar, apesar de todo o apoio que tive em casa, dos amigos e ainda do apoio de uma psicóloga.
Infelizmente na minha escola havia outras colegas que também já tinham passado por esta situação. Foi através de uma delas que venho a ter conhecimento do Reiki. No início achei muito estranho tudo que ela me falou sobre esta terapia e não lhe dei grande importância. Contudo eu continuava a conviver muito mal com a minha doença, sentia-me tremendamente angustiada, até que um dia, no meio de muito desespero, acabei por lhe pedir que me informasse onde poderia encontrar alguém que me fizesse Reiki. Comecei a fazer sessões regulares com a Mestre Ana Gonçalves e, após cada sessão, eu regressava a casa com maior confiança, menos angustiada, mais relaxada e mais alegre.
Tenho uma formação católica e sou praticante. Interroguei-me muitas vezes se a minha religião era incompatível com o Reiki. Conclui que cada coisa pode ter o seu lugar, hoje sou ainda mais crente em Deus e mais praticante do que era na altura.
Não quero procurar se existem explicações científicas ou não para os efeitos do Reiki, para mim apenas basta que me ajudou quando eu estava numa fase difícil. Hoje, um ano depois, acho que nem tudo funciona de uma forma inteligível e racional.
Não vejo o Reiki como uma terapia que possa substituir a medicina convencional, longe disso, pode ser sim algo que complementa as terapias administradas no hospital e que recomendarei a qualquer pessoa que, pelas mais variadas circunstâncias, se encontrem numa fase menos boa da sua vida.
Tive conhecimento que há hospitais que reconhecem ou que estão em vias de reconhecer o Reiki como terapia complementar abrindo as suas portas à prática do Reiki. Porque não? Todas as ajudas são sempre bem-vindas. Como já disse, o que importa é o resultado final, tudo o que nos possa ajudar é bem vindo desde que venha

TESTEMUNOS DA ENERGIA REIKI

Tenho 54 anos, sou professora, casada e tenho dois filhos. Em Agosto de 2010, foi-me diagnosticado um carcinoma na mama esquerda. No princípio fiquei “apalermada”, até porque me disseram que era um caso fácil de resolver dado que se encontrava numa fase muito inicial. Após a tumorectomia fui informada que afinal as coisas não eram tão simples e que teria de fazer quimioterapia, radioterapia, herceptin e hormonoterapia.
Só aí tomei consciência de que um cancro é uma doença crónica que nos pode limitar e condicionar muito a nossa vida pessoal e familiar.
Seguiram-se dias muito difíceis de suportar, apesar de todo o apoio que tive em casa, dos amigos e ainda do apoio de uma psicóloga.
Infelizmente na minha escola havia outras colegas que também já tinham passado por esta situação. Foi através de uma delas que venho a ter conhecimento do Reiki. No início achei muito estranho tudo que ela me falou sobre esta terapia e não lhe dei grande importância. Contudo eu continuava a conviver muito mal com a minha doença, sentia-me tremendamente angustiada, até que um dia, no meio de muito desespero, acabei por lhe pedir que me informasse onde poderia encontrar alguém que me fizesse Reiki. Comecei a fazer sessões regulares com a Mestre Ana Gonçalves e, após cada sessão, eu regressava a casa com maior confiança, menos angustiada, mais relaxada e mais alegre.
Tenho uma formação católica e sou praticante. Interroguei-me muitas vezes se a minha religião era incompatível com o Reiki. Conclui que cada coisa pode ter o seu lugar, hoje sou ainda mais crente em Deus e mais praticante do que era na altura.
Não quero procurar se existem explicações científicas ou não para os efeitos do Reiki, para mim apenas basta que me ajudou quando eu estava numa fase difícil. Hoje, um ano depois, acho que nem tudo funciona de uma forma inteligível e racional.
Não vejo o Reiki como uma terapia que possa substituir a medicina convencional, longe disso, pode ser sim algo que complementa as terapias administradas no hospital e que recomendarei a qualquer pessoa que, pelas mais variadas circunstâncias, se encontrem numa fase menos boa da sua vida.
Tive conhecimento que há hospitais que reconhecem ou que estão em vias de reconhecer o Reiki como terapia complementar abrindo as suas portas à prática do Reiki. Porque não? Todas as ajudas são sempre bem-vindas. Como já disse, o que importa é o resultado final, tudo o que nos possa ajudar é bem vindo desde que venha