Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

anagoncalvesreikivivernaluz

Prestamos serviços, formação e voluntariado em : Reiki, karuna, Cristaloterapia, Meditação, Terapia de regressão, Psicologia Clínica, Acupunctura,Reflexologia, Osteopatia, Homeopatia, Naturopatia...

anagoncalvesreikivivernaluz

Prestamos serviços, formação e voluntariado em : Reiki, karuna, Cristaloterapia, Meditação, Terapia de regressão, Psicologia Clínica, Acupunctura,Reflexologia, Osteopatia, Homeopatia, Naturopatia...

Testemunho da energia reiki

TESTEMUNHO

 

Identificação:

 

António José Cravo, nascido a 4 de Dezembro de 1951, Técnico Superior Assessor Principal da Administração regional de Saúde do Centro.

 

O Reiki porquê?

 

Desde a segunda metade dos anos 70 foi-me diagnosticada colite espástica, pelo que passei a ser medicado, em caso de crise, com anti-espasmódicos e em permanência com ansiolíticos e antidepressivos : pacinone 40 e adt (que foi evoluindo de 10 até 25, tendo sido substituído nos últimos 2 anos por triticum AC).

 

Em 2010, a prestar serviço no ACES Baixo Mondego II, como responsável dos Sistemas de Informação, contactei mais de perto com os prestadores de cuidados de saúde, oportunidade que levou a que ao relatar a minha “toxicodependência legal” a uma profissional, a mesma me disse que o reiki, enquanto terapia complementar, me poderia ajudar a libertar da medicamentação que há mais de 30 anos consumia.

 

Comecei nos últimos meses de 2010 a ser tratado pela Mestre Ana Gonçalves, inicialmente com duas sessões semanais, que foram posteriormente reduzidas para uma e finalmente para quando me sentisse pior.

 

Por coincidência infeliz, quando me encontrava mais estabilizado, o mau ambiente vivido no gabinete onde trabalhava levou a que no início de 2011 entrasse em depressão. Durante 6 meses fui medicado com paroxetina.

 

Entretanto frequentei o primeiro e o segundo nível de Reiki, o que me permitiu que desde Fevereiro, até à presente data e sem intenção de interromper, diariamente fizesse a minha auto-terapia.  O que é facto é que ao fim dos 6 meses de toma de paroxetina, iniciei a desintoxicação programada para 3 meses, a qual não durou mais de 10 dias, sem quaisquer sequelas de carência. Note-se que no início deste período de desintoxicação obtive o primeiro nível de Karuna.

 

Apesar de em Março de 2010 me ter sido diagnosticado Síndrome vertiginoso, com internamento e baixa, não tenho tido quaisquer sintomas de perda de equilíbrio desde que iniciei as terapias de Reiki.

 

A mais valia do Reiki

 

O aspecto mais importante do Reiki, enquanto terapia complementar, reside não só no processo de cura pelo outro, mas também, e de forma não dispicienda, a possibilidade de auto-terapia após formação adequada.

Em poucos meses, depois de mais de 30 anos de consumo, reduzi o triticum para um terço da dose diária e o pacinone 40, para metade. Em casos de ansiedade recorro à auto-terapia e consigo controlar o meu sistema nervoso sem recurso a doses adicionais de medicamentos.

Conclusão

Estou muito melhor em termos globais e em processo de desintoxicação, sem quaisquer sintomas de carência.

A obtenção do 1º e 2º nível de Reiki e do 1º de Karuna, tem não só ajudado ao meu equilíbrio pessoal, como permitido contribuir positivamente para a cura de amigos, familiares e colegas, com resultados muito positivos.

 

Coimbra 18 de Outubro de 2011

 

António José Cravo

 

 

 

 

 

 

 

Testemunho da energia reiki

TESTEMUNHO


 


Identificação:


 


António José Cravo, nascido a 4 de Dezembro de 1951, Técnico Superior Assessor Principal da Administração regional de Saúde do Centro.


 


O Reiki porquê?


 


Desde a segunda metade dos anos 70 foi-me diagnosticada colite espástica, pelo que passei a ser medicado, em caso de crise, com anti-espasmódicos e em permanência com ansiolíticos e antidepressivos : pacinone 40 e adt (que foi evoluindo de 10 até 25, tendo sido substituído nos últimos 2 anos por triticum AC).


 


Em 2010, a prestar serviço no ACES Baixo Mondego II, como responsável dos Sistemas de Informação, contactei mais de perto com os prestadores de cuidados de saúde, oportunidade que levou a que ao relatar a minha “toxicodependência legal” a uma profissional, a mesma me disse que o reiki, enquanto terapia complementar, me poderia ajudar a libertar da medicamentação que há mais de 30 anos consumia.


 


Comecei nos últimos meses de 2010 a ser tratado pela Mestre Ana Gonçalves, inicialmente com duas sessões semanais, que foram posteriormente reduzidas para uma e finalmente para quando me sentisse pior.


 


Por coincidência infeliz, quando me encontrava mais estabilizado, o mau ambiente vivido no gabinete onde trabalhava levou a que no início de 2011 entrasse em depressão. Durante 6 meses fui medicado com paroxetina.


 


Entretanto frequentei o primeiro e o segundo nível de Reiki, o que me permitiu que desde Fevereiro, até à presente data e sem intenção de interromper, diariamente fizesse a minha auto-terapia.  O que é facto é que ao fim dos 6 meses de toma de paroxetina, iniciei a desintoxicação programada para 3 meses, a qual não durou mais de 10 dias, sem quaisquer sequelas de carência. Note-se que no início deste período de desintoxicação obtive o primeiro nível de Karuna.


 


Apesar de em Março de 2010 me ter sido diagnosticado Síndrome vertiginoso, com internamento e baixa, não tenho tido quaisquer sintomas de perda de equilíbrio desde que iniciei as terapias de Reiki.


 


A mais valia do Reiki


 


O aspecto mais importante do Reiki, enquanto terapia complementar, reside não só no processo de cura pelo outro, mas também, e de forma não dispicienda, a possibilidade de auto-terapia após formação adequada.


Em poucos meses, depois de mais de 30 anos de consumo, reduzi o triticum para um terço da dose diária e o pacinone 40, para metade. Em casos de ansiedade recorro à auto-terapia e consigo controlar o meu sistema nervoso sem recurso a doses adicionais de medicamentos.


Conclusão


Estou muito melhor em termos globais e em processo de desintoxicação, sem quaisquer sintomas de carência.


A obtenção do 1º e 2º nível de Reiki e do 1º de Karuna, tem não só ajudado ao meu equilíbrio pessoal, como permitido contribuir positivamente para a cura de amigos, familiares e colegas, com resultados muito positivos.


 


Coimbra 18 de Outubro de 2011


 


António José Cravo