Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

anagoncalvesreikivivernaluz

Prestamos serviços, formação e voluntariado em : Reiki, karuna, Cristaloterapia, Meditação, Terapia de regressão, Psicologia Clínica, Acupunctura,Reflexologia, Osteopatia, Homeopatia, Naturopatia...

anagoncalvesreikivivernaluz

Prestamos serviços, formação e voluntariado em : Reiki, karuna, Cristaloterapia, Meditação, Terapia de regressão, Psicologia Clínica, Acupunctura,Reflexologia, Osteopatia, Homeopatia, Naturopatia...

Reiki e a ciência

Adaptado de: Energy Medicine, a Scientific Basis de Dr. James Oschman

Noutros campos da medicina e no interesse de compreender melhor os processos mentais patológicos e saudáveis, as neurociências começam a adaptar estes conhecimentos ao estudo da mente, com a electroencefalografia, a psiconeuroimunologia, o estudo dos níveis de consciência e dos estados alterados de consciência. A partir dos estudos da actividade cerebral e da electrofisiologia descobriu-se que o cérebro é capaz de produzir 5 tipos de ondas cerebrais às quais correspondem amplitudes electromagnéticas diferentes, assim como estados de consciência diferentes:

• Ondas Beta (13-30 Hz): as ondas beta, associados ao nível de consciência beta, correspondem ao estado de vigília, onde predominam funções como a atenção, a concentração, a cognição e o raciocínio lógico, a consciência objectiva. Este é o estado em que permanecemos a maior parte do tempo que estamos acordados. São responsáveis pelos nossos estados de alerta e hiperactividade e como tal, influenciadores do stress, ansiedade e inquietação.

• Ondas Alfa (8-13 Hz): as ondas alfa estão associadas ao sono, ao relaxamento, à visualização. No nível de consciência alfa, não há focalização sobre um objecto de atenção definido, não havendo também trabalho mental objectivo; apenas subjectivo, pelo que a consciência fica mais livre, pelo que surgem as imagens hipnagógicas (fenómenos visuais imaginativos). Fisiologicamente há relaxamento físico da musculatura e diminuição da actividade metabólica. Os estados de consciência alfa, é bastante frequente em praticantes de meditação e pode ser considerada como a porta de entrada para o subconsciente. Trabalhar sob este nível de consciência auxilia bastante a programação da mente, pois estas ondas reforçam a imaginação, a visualização, a memória, a aprendizagem e a concentração. Nesta fronteira alfa-teta, pelo este potencial criativo a pessoa consegue criar imageticamente a sua realidade e uma vez que o corpo está em profundo relaxamento, a capacidade de retenção destas imagens permitem este trabalho psicoterapêutico de alterar os padrões de pensamento da pessoa e motiva-la para a sua cura, ou para atingir os objectivos a que se propõe.

• Ondas Teta (4-7 Hz): associados a estados de sono mais profundos (embora a pessoa se encontre a dormir, ainda não está no nível mais aprofundado de sono) e em estados de meditação profunda. Corresponde ao primeiro nível do subconsciente, onde, através da meditação e da visualização, pode potenciar a criatividade, capacidade de ver para além das coisas. Aprofunda-se todas as funções da mente.

• Ondas Delta (0,5-4 Hz): presentes no estado delta, em que cérebro físico entra na sua menor actividade. Está também presente no sono profundo, quando se atinge a fase REM no ciclo do sono, em estados de meditação transcendental em que se consegue isolar completamente a consciência. O estado delta, é considerado o domínio da mente inconsciente e a porta de acesso para a mente universal e para o inconsciente colectivo. Nesta fase as pessoas têm acesso total a informações do seu subconsciente, que doutra forma se encontravam vedadas, pelo que tê a capacidade de visualizar imagens do passado, insights pessoais. Como já foi referido, as ondas Delta estão presentes em estados meditativos e praticantes de meditação experientes conseguem no seu dia-a-dia, sem se encontrarem em estados alterados de consciência, produzir também estas ondas. Está associada a cura, regeneração e estudos comprovaram relação causal com o processo de cicatrização tecidular.

• Ondas gama (acima 40 Hz): é a frequência mais rápida que o nosso cérebro pode apresentar. Foi descoberto recentemente e por esse mesmo motivo pouco se sabe sobre estado. Contudo parece estar ligada a introspecção, a elevados níveis de processamento de informação e à percepção súbita.
Becker e Zimmerman na década de 80 do século passado descobriram que a mente dos praticantes de Reiki, facilmente entra em estado alfa e atinge a ressonância de Schuman entrando num estado de relaxamento profundo e, por conseguinte, consegue aceder a informação no subconsciente. Este é o mecanismo de cura do Reiki!
Os mesmos investigadores descobriram que durante as terapias, os praticantes de Reiki apresentam um campo biomagnético 1000 superior ao estado normal, independentemente do campo biomagnético interno do corpo do praticante

Reiki e a ciência

Adaptado de: Energy Medicine, a Scientific Basis de Dr. James Oschman

Noutros campos da medicina e no interesse de compreender melhor os processos mentais patológicos e saudáveis, as neurociências começam a adaptar estes conhecimentos ao estudo da mente, com a electroencefalografia, a psiconeuroimunologia, o estudo dos níveis de consciência e dos estados alterados de consciência. A partir dos estudos da actividade cerebral e da electrofisiologia descobriu-se que o cérebro é capaz de produzir 5 tipos de ondas cerebrais às quais correspondem amplitudes electromagnéticas diferentes, assim como estados de consciência diferentes:

• Ondas Beta (13-30 Hz): as ondas beta, associados ao nível de consciência beta, correspondem ao estado de vigília, onde predominam funções como a atenção, a concentração, a cognição e o raciocínio lógico, a consciência objectiva. Este é o estado em que permanecemos a maior parte do tempo que estamos acordados. São responsáveis pelos nossos estados de alerta e hiperactividade e como tal, influenciadores do stress, ansiedade e inquietação.

• Ondas Alfa (8-13 Hz): as ondas alfa estão associadas ao sono, ao relaxamento, à visualização. No nível de consciência alfa, não há focalização sobre um objecto de atenção definido, não havendo também trabalho mental objectivo; apenas subjectivo, pelo que a consciência fica mais livre, pelo que surgem as imagens hipnagógicas (fenómenos visuais imaginativos). Fisiologicamente há relaxamento físico da musculatura e diminuição da actividade metabólica. Os estados de consciência alfa, é bastante frequente em praticantes de meditação e pode ser considerada como a porta de entrada para o subconsciente. Trabalhar sob este nível de consciência auxilia bastante a programação da mente, pois estas ondas reforçam a imaginação, a visualização, a memória, a aprendizagem e a concentração. Nesta fronteira alfa-teta, pelo este potencial criativo a pessoa consegue criar imageticamente a sua realidade e uma vez que o corpo está em profundo relaxamento, a capacidade de retenção destas imagens permitem este trabalho psicoterapêutico de alterar os padrões de pensamento da pessoa e motiva-la para a sua cura, ou para atingir os objectivos a que se propõe.

• Ondas Teta (4-7 Hz): associados a estados de sono mais profundos (embora a pessoa se encontre a dormir, ainda não está no nível mais aprofundado de sono) e em estados de meditação profunda. Corresponde ao primeiro nível do subconsciente, onde, através da meditação e da visualização, pode potenciar a criatividade, capacidade de ver para além das coisas. Aprofunda-se todas as funções da mente.

• Ondas Delta (0,5-4 Hz): presentes no estado delta, em que cérebro físico entra na sua menor actividade. Está também presente no sono profundo, quando se atinge a fase REM no ciclo do sono, em estados de meditação transcendental em que se consegue isolar completamente a consciência. O estado delta, é considerado o domínio da mente inconsciente e a porta de acesso para a mente universal e para o inconsciente colectivo. Nesta fase as pessoas têm acesso total a informações do seu subconsciente, que doutra forma se encontravam vedadas, pelo que tê a capacidade de visualizar imagens do passado, insights pessoais. Como já foi referido, as ondas Delta estão presentes em estados meditativos e praticantes de meditação experientes conseguem no seu dia-a-dia, sem se encontrarem em estados alterados de consciência, produzir também estas ondas. Está associada a cura, regeneração e estudos comprovaram relação causal com o processo de cicatrização tecidular.

• Ondas gama (acima 40 Hz): é a frequência mais rápida que o nosso cérebro pode apresentar. Foi descoberto recentemente e por esse mesmo motivo pouco se sabe sobre estado. Contudo parece estar ligada a introspecção, a elevados níveis de processamento de informação e à percepção súbita.
Becker e Zimmerman na década de 80 do século passado descobriram que a mente dos praticantes de Reiki, facilmente entra em estado alfa e atinge a ressonância de Schuman entrando num estado de relaxamento profundo e, por conseguinte, consegue aceder a informação no subconsciente. Este é o mecanismo de cura do Reiki!
Os mesmos investigadores descobriram que durante as terapias, os praticantes de Reiki apresentam um campo biomagnético 1000 superior ao estado normal, independentemente do campo biomagnético interno do corpo do praticante

Reiki e Ciência

Para se compreender o Reiki, temos que ter consciência que nós não nos restringimos ao nosso corpo físico. Existe uma expansão deste corpo num corpo energético, que constitui a nossa aura.

(…) Teoria dos chacras

Esta vibração energética não é constante e não se restringe apenas aos corpos vivos. Toda a existência possui uma vibração energética, incluindo o próprio planeta Terra. Aliás, o campo electromagnético da Terra, causado pelo movimento de rotação do planeta, é cerca de 7,8 Hz. Este valor de referência, também conhecido como Ressonância de Schumann, é o valor pelo qual todos os seres vertebrados se sincronizam em termos de campo electromagnético.

Relativamente a estudos sobre campos electromagnéticos e medicina, destacam-se, entre outros James Oschman e Motoyama, Becker e Zimmermann. Zimmermann e Becker, da University of Colorado Medical School, demonstraram em vários estudos, a partir dos conceitos de partilha de energia, cura e intenção, que todos os participantes (pessoas com e sem formação em terapias energéticas) emanavam diferentes frequências vibracionais das mãos e que a diferença entre estes dois grupos ia de 0,3 até 30 Hz, sendo as mais frequentes 7-8 Hz. Esta amplitude de frequência é também a frequência mais comum nas músicas utilizadas em relaxamento.

Os mesmos cientistas Zimmermann confirmou também que cada tipo de tecido e órgãos saudáveis possuem uma frequência vibracional própria, o que tem provocado na comunidade científica e na medicina alopática a vontade de adaptar estes estudos e encontrar estratégias para acelerar a cura e a regeneração de tecidos lesados como ossos, pele, etc.

Reiki e Ciência

Para se compreender o Reiki, temos que ter consciência que nós não nos restringimos ao nosso corpo físico. Existe uma expansão deste corpo num corpo energético, que constitui a nossa aura.

(…) Teoria dos chacras

Esta vibração energética não é constante e não se restringe apenas aos corpos vivos. Toda a existência possui uma vibração energética, incluindo o próprio planeta Terra. Aliás, o campo electromagnético da Terra, causado pelo movimento de rotação do planeta, é cerca de 7,8 Hz. Este valor de referência, também conhecido como Ressonância de Schumann, é o valor pelo qual todos os seres vertebrados se sincronizam em termos de campo electromagnético.

Relativamente a estudos sobre campos electromagnéticos e medicina, destacam-se, entre outros James Oschman e Motoyama, Becker e Zimmermann. Zimmermann e Becker, da University of Colorado Medical School, demonstraram em vários estudos, a partir dos conceitos de partilha de energia, cura e intenção, que todos os participantes (pessoas com e sem formação em terapias energéticas) emanavam diferentes frequências vibracionais das mãos e que a diferença entre estes dois grupos ia de 0,3 até 30 Hz, sendo as mais frequentes 7-8 Hz. Esta amplitude de frequência é também a frequência mais comum nas músicas utilizadas em relaxamento.

Os mesmos cientistas Zimmermann confirmou também que cada tipo de tecido e órgãos saudáveis possuem uma frequência vibracional própria, o que tem provocado na comunidade científica e na medicina alopática a vontade de adaptar estes estudos e encontrar estratégias para acelerar a cura e a regeneração de tecidos lesados como ossos, pele, etc.